Irrita-me mas é verdade

Convenhamos, há coisas que não são para ser decididas pelo povo, ou melhor, poderiam e deveriam ser decididas pelo povo se fossem de compreensão simples em toda a sua extensão. E geralmente não são. Os políticos também não ajudam porque, na ânsia de arranjar votantes para a sua posição, usam uma linguagem simplificada, dizem umas tiradas marcantes e polémicas e a coisa fica-se por aí.
Por isso, sou contra o referendo ao Tratado de Lisboa. Convenhamos, aquela coisa é altamente técnica, lançar bujardas como "perdemos soberania" só atiça as hostes a quem ninguém explica que isso é uma inevitabilidade se Portugal quer ser alguém no mundo de hoje, eu votei nuns deputados que teoricamente são uns gajos competentes (e se não são a culpa é minha que votei neles) e portanto, que venha a rectificação parlamentar. Apenas para evitar histerias desnecessárias e problemas evitáveis.

Sem comentários: