#40 - 21 - 08 - 2016

A maré estava mais baixa do que alguma vez a vi. E no lodo, vestígios ou lixo ou o que quer que lhe queiram chamar. Mas acreditem ou não, havia algo de belo naquela paisagem.

#39 - 20 - 08 - 2016

British Museum. Outra vez. Sim, eu sei. Mas gosto dele. Arte e história no mesmo lugar. A mim parece-me muito bom

#38 - 19 - 08 - 2016

E porque precisamos de uma fotografia do teu pequeno almoço? Porque me quero lembrar das coisas que são importantes. E o meu pequeno almoço é muito importante para mim. E também seria para vocês se trabalhassem comigo e não me quisessem ver maldisposta todas as manhãs.

#37 - 18 - 08 - 2016

De cada vez que abre mais uma flor, eu volto a lembrar-de dos amigos que ma ofereceram. E da definição "A trendy and eccentric plant. We wanted the plant to be like you". Obrigada gente!

#35 - 16 - 08 - 2016

Todas as manhãs vejo este sinal. A estação, o começo de um novo dia. Também, na verdade, mais uma hora para mim. Para pensar, para ler, para observar. O dia adia-se um pouco mais.

Adeus Gaia



O tempo passa e a vida muda e as coisas alteram-se e o que era ontem já não é hoje. Hoje ainda é minha mas muito em breve vai deixar de ser. O apartamento de Gaia. Deixa muitas memórias! O meu irmão a puxar-me pela manga da camisa e a dizer "compra o grande". Muitos domingos com o sol a entrar generoso pelas janelas da sala. Imensos jantares, maiores ou menores, com mais ou menos garrafas mortas, com mais ou menos horas de poker a feijões ou King. Amigos a curtir a felicidade agarrados à sanita e a dormir alegremente. A festa da pegada no texto! Por favor, não se podem ter esquecido da festa da pegada no tecto! 

Enfim, decidi que não valia a pena continuar a ser minha. Duas casas numa cidade onde não moro e como eu não gosto particularmente da posição de senhoria, é demais. 
Mas deixa boas memórias, lá isso deixa!

#36 - 17-08-2016.

Hoje de manhã, à minha frente no metro, uma senhora bordava em ponto cruz. Sapatos de joaninha, casaco de joaninha, a bordar a preto numa tela branca. Acho que foi a primeira pessoa que vi no metro a fazer algo parecido.

#34 - 15-08-2016

Passei-me com as montras lindas, inspiradas em Shakespeare, do Selfridge's.

#33 - 14-08-2016

Um brinquedo simples para uma criança de riso fácil. Um chá. Um fim-de-semana em família.

#32 - 13-08-2016

Colchester.

#31 - 12-8-2016

Hyde Park. Sexta à tarde. Tempo para olhar para os detalhes.

#30 - 11-08-2016

Autocarros. Gruas. Coisas. Movimento.
Esta cidade não pára.

#29 - 10-08-2016

Bem-vindos a Baker Street. A minha rua de todos os dias.

#28 - 9-8-2016

Companheiros das noites.

Personagens do metro

A miúda que tem uma tal dose de base e as sobrancelhas tão quadradas que parece uma escultura pintada com tinta plástica. A miúda em frente faz a maquilhagem no metro e vai tirando lápis após lápis de uma bolsa cheia de pó de base.
O senhor que faz Sudoku com caneta vermelha e ainda não corrigiu um único número. 

Sent from my iPhone

Personagens do metro

A senhora de camisa de flanela xadrez com sandálias cheias de flores e sombra azul berrante nos olhos.
A miúda com as unhas afiadas como pequeninas setas. Manter longe. Não quero que me arranque os olhos.
O casal abraçado de cabeças encostadas com o olhar vazio. 

#27 - 8-8-2016

Berwick Street. Um daqueles lugares a não perder!

#26 - 7-8-2016

British Museum. Num dia de sol, eu sei, porquê ir a um museu? Porque sim. Porque me apetecia e estava com fome de coisas muito bonitas.

#25 - 6-8-2016

Numa qualquer parede em Londres. Holborn para ser mais exacta.

#24 - 5-8-2016

Quando os colegas se transformam em amigos, as sextas à tarde passam-se às vezes num bar, a fazer tempo para um avião, a celebrar um aniversário, a pôr a conversa em dia.