Eastbourne

Precisava sair de Londres. Precisava ver o mar. O conselho que recebi foi Brighton.
Demasiadas pessoas, demasiado.... sei lá. Mas gostei de Eastbourne. E lá fui eu, cheirar o mar e matar saudades de horizonte.


Primavera




Vocês vão-se rir..... mas a verdade é que acho eu nunca dei conta da primavera como este ano. Sim, claro que eu sempre notei os pompos a crescer e vi as folhas pequeninas e vi dei conta das flores. Mas este ano eu caminho por entre árvores e arbustos todos os dias. Este ano eu tenho dois jardins que todos os dias mudam nas últimas semanas. Bolas, eu tenho flores em vasos que apanhei no jardim da frente! E deixem-me que vos diga, é uma coisa fantástica. Eu já gostava da horta da minha mãe e gostava de a ver cheia de tudo. Mas este ano é diferente.

Aprender a fazer diferente


Por razões que agora não vêm ao caso, nos próximos tempos vou trabalhar mais a partir de casa. Coisa que nunca fiz. Conceito de que sempre fugi como o diabo da cruz.
Mas não é que até estou a gostar? Sossego total para pensar em paz, música a tocar no fundo, baixinho, só para o silêncio não se tornar demasiado pesado. Eu, o computador e a chaleira para me levantar de meia em meia hora e fazer um chá. Afinal, isto tem tudo para correr bem!

Amizades que valem ouro

Ele há coisas e dias e sortes especiais. Um belo dia entrei numa galeria de arte para passar o tempo. E lá dentro estava uma pessoa com um sorriso simpático. E ficámos à conversa. Passadas poucas semanas, 12 anos atrás, fomos de férias para Barcelona. Celebrámos o aniversário dela lá. E a amizade continuou, com altos e baixos, com fases em que cada uma de nós quer esganar a outra. Mas continuamos amigas. Agora somos mais que isso, somos família! Gosto muito de ti, porra!


Trambolhos de ouro

Infelizmente não fui eu que inventei a expressão mas gosto muito dela... E aplica-se que nem uma luva aos modelistas deste ano dos Óscares. É que não me lembro de ter visto uma coleção tal de vestidos que não queria nem oferecidos.

I am back!

Eh pá, eu digo que ando sem paciência para o blogue, que não me sai nada de jeito, que parece que me sinto obrigada a escrever. Mas depois quando páro, sinto um vazio. Parece que as fotografias bonitas que de vez em quando tiro ficam fechadas no computador e que perdem a vida. Parece que as palavras ficam apenas na minha cabeça, perdidas. Por isso voltei.
O 365 fotográfico está anulado, claro. Tenho pena de não o terminar mas estava a tornar-se mais um peso que um prazer. O que não significa que não haja fotografias de que gosto. Como as duas abaixo.
Bom fim-de-semana!


Até já!

Olá gente!
Manter este blog não tem sido fácil. Não consigo explicar mas não me apetece vir aqui escrever. O 365 foi uma tentativa de manter este cantinho vivo mas não me está a dar gozo nenhum.
Por isso, para já, vou deixar isto em banho maria. E quando as saudades baterem, eu volto.
Até já!

2016

Para mim, este foi ano de muitas mudanças. Perdi o meu pai para uma doença que espero um dia tenha cura. Mudei de cidade, de país, de emprego. Fiz amigos novos e tive saudades imensas dos de sempre. A família ficou cá e o que vale é que todos sabemos lidar com a distância e a saudade. Foi um ano cheio, cheio de mudança que quase parece fácil mas, apercebi-me por estes dias, que me cansou muito e drenou-me energia que não sabia que tinha. Tive (e vou continuar durante mais uns anos) a ter de provar o que valho e o que sei. Tenho de provar todos os dias e não estava habituada a isso. Pensei se fiz bem  tomar a decisão que tomei, mas não me arrependo. A vida é para a frente e enfrentar medos faz parte dela. Parece um ano com pouca aventura comparado com anos passados mas foi antes uma aventura que durou um ano inteiro. Cheira-me que vai continuar.
E sei que voltava a fazer tudo de novo se pudesse voltar atrás.

Bom Ano gente boa!

#140 - 17-12-2016

De vez em quando sabe bem parar num lugar bonito, tomar um café bonito e ler um livro ainda melhor.

#139 - 16-12-2016-1

Não tive tanta neve quanta desejava, mas consegui fazer uma bola e atacar quem estava por perto.

#138 - 15-12-2016

A noite a cair nas montanhas.

#137 - 13-12-2016

Cantos da casa.

#136 - 09-12-2016

Boa noite Londres.

#135 - 08-12-2016-1

Vale sempre a pena olhar e tentar ver cores.

#134 - 06-12-2016-2

Reflexos.

#133 - 04-12-2016

Vitrinas mágicas.

#132 - 03-12-2016

Ele há lugares bonitos, muito bonitos.

#131 - 02-12-2016

Já varria as folhas, certo?

#130 - 01-12-2016

Sim, a minha rua é uma fonte de inspiração.

#129 - 20-11-2016

Na minha rua, num dia frio, muito frio.