Do passado

E hoje é dia de ser bem tratada pelas minhas queridas meninas da Tuna! E vai ser fantástico porque, pela primeira vez, a CR vai ao jantar depois do monumental granel de há 12 anos atrás.
O que me faz pensar que às vezes (ou será quase sempre) não somos capazes de medir e prever as consequências dos nossos actos. E muitas vezes, o que fazemos ou, no meu caso, não fazemos, estende-se no tempo e doi-nos durante muito tempo. Eu não defendi a CR quando pude, quando só eu a podia defender porque me deu a preguiça de enfrentar uma reunião que se sabia feia e histérica e cheia de mulheres em estado de irracionalidade, com as hormonas aos saltos e as facas afiadas. E por isso, durante anos, as gerações futuras ficaram privadas de conhecer alguém fantástico, que muito deu áquele grupo mas que, por ser mais rebelde, mais livre, se sentir melhor em palco, foi afastada.
Mas isso acaba hoje! Às vezes a verdade é reposta e o valor reconhecido em vida!

Sem comentários: