Post mete nojo #1 - primeiras impressoes

Ja ca estou. Depois de uma viagem pacifica (em que e apenas digna de nota a falta de qualidade da sandes manhosa que a TAP serviu no voo para Londres) cheguei a Saigao.

Primeira luta: conseguir o danadinho do visto. Antes de passar a fronteira em Saigao e preciso ir a um guichet conseguir o visto e ai o caos e generalizado. Com tanta gente e tanto resmunganco e tanta confusao, demorei meia hora a perceber que afinal so tinha de meter o passaporte e a carta convite pela janelinha, depois preencher um papelinho e a seguir aguardar calmamente que me fizessem sinal ou que me chamassem. Era isto que gerava a confusao: estava uma montanha de gente para ser atendida e portanto os vistos demoravam uns minutos. Normal, digo eu. Mas era quase a unica. Toda a gente se acotovelava em frente ao vidro como se isso acelerasse as coisas. E as caras descontentes dos turistas nao so nao faziam os vietnamitas felizes como decididamente nao acelerava os passaportes deles. Aqui a vossa amiga, com uma cara calma e simpatica despachou-se num instante!!!

Primeiro choque: o calor. Sete da tarde e um calor abafador assim que se sai do aeroporto.

Segundo choque: o transito! Nao da para descrever (hao-de aparecer por aqui umas fotos a ilustrar porque contado voces nao vao acreditar). As ruas estao constantemente apinhadas de motas, muitas motas, infinitas motas! A hora de ponta nao devo fugir muito a verdade se vos disser que deve estar uma em cada 0.5 m2. Perfeitamente inacreditavel a maneira como circulam formando uns fluxos estranhos em que tudo funciona e se avanca sem se perceber muito bem porque.

Terceiro choque: atravessar a rua. Se algum de voces e uma daquelas pessoas que so atravessam na passadeira com o sinal verde e depois de verificar 2 vezes se nao vem ninguem, nao leiam as linhas seguintes e nao pensem nunca em vir ao Vietname. O transito nao para nunca, as motas e as bicicletas e os carros surgem de todos os lados e nada para para que o belo do turista (ou seja quem for, motorizado ou nao) passe a estrada. Por isso, a tecnica e parar, avaliar a velocidade do fluxo, ver onde e que estao os buraquinhos e atravessar. Com calma, sem correr e sem nunca voltar para tras. e de loucos, juro-vos! De cada vez que chego ao outro lado pergunto-me sempre como e que consegui.

Loucuras: ja infringi uma das regras basicas: nao beber nada com gelo. Bom, na realidade, a regra dos estrangeiros que moram aqui e so aceitar gelo em lugares que tenham os menus (admite-se que serao suficientemente decentes). So que ontem fui a Cao Dai e aos tuneis Cu Chi com o motorista da AnainSaigon e o bom do Sr. Long achoui por bem pararmos a meio da manha para comer qualqeur coisa e tomar um cafe. Saca de umas espigas de milho cozidas e pede dois chas gelados e depois dois cafes gelados. Ainda nao me senti mal, rezemos....

A comida: ja comi umas coisas, incluindo uns rolos de papel de arroz com camarao e noddles com um molho estranho no mercado em Saigao. Antes de vir para o hotel nao resisti a provar umas omoletes finiNhas, estaladicas, com rebentos de soja e camarao, que estava a cozinhar uma sra aqui ao pe do hotel. Fantastico! (Aquilo era servido com uma salada crua nao comi mas confesso que provei umas coisas verdes para ver se sabia o que aquilo era - nao reconheci e espero nao pagar cara a imprudencia!)

As fotos hao-de aparecer por aqui (nao me apetece ligar a maquina ao USB do computador do hotel para nao dar asneira) e prometo que amanha conto mais um bocadinho. Hasta la vista companeros!

1 comentário:

Tobias disse...

sim, de facto estás no Oriente! Pela descrição só, acreditaria que estavas em Banguecoque! Parece que é tudo muito parecido por aí! Reparei também que já encontraste as piadas da região.... Espera só até teres de usar o Imodium!
Aproveita bastante!