A outra Serralves

Confesso que tenho cada vez mais problemas com a arte contemporânea... Quando a descobri inicialmente fiquei fascinada! O conceito de que a arte podia ser feita com o quotidiano, que nos podia proporcionar uma nova visão do que é corrente e banal foi fascinante. Mas agora já não me encanto com facilidade: preciso que me dê uma mensagem positiva ou que seja visualmente muito agradável. Não fujo dela, aliás, de cada vez que sei que está uma nova exposição em Serralves, lá vou eu alegremente, com o jormal debaixo do braço para me fazer companhia durante o café e depois percorre-se a exposição.
Mas este fim-de-semana nada me cativava. Nada me ficou no olho (excepto a fonte de peixes que é realmente engraçada!) e portanto saí e descobri o que precisava: o verde fresco dos jardins! A primavera está aí, houve umas borrascas na semana passada que tiraram o viço às rosas mas ainda assim tudo estava tão verde e real.

Sem comentários: