E a montanha pariu um rato

Estava eu a imaginar cenários tremendos: o PR está doente e vai renunciar ao cargo, o PR decidiu dissolver a AR, sei lá, coisas igualmente dramáticas. E afinal, o Sr. faz uma pausa de 10 minutos nas férias, põe meio país em polvorosa agarrado à televisão para anunciar que está preocupado com as inconstitucionalidades do estatuto dos Açores (que agora que estão identificadas, é resolver e pronto) e com a possível ou real perda de poderes do PR. E alguém me explica porque é que isto dá uma comunicação ao país? Isto não se trata com uma carta ao presidente da AR? Mas o que é que se passou aqui? O homem que é sempre tão calmo e ponderado tem um ataque de nervos e vem falar à televisão? Confesso que foi a primeira vez que achei indigna a actuação dele.
E depois pus-me a pensar noutra coisa: que diabo, temos uns deputados eleitos, que teoricamente a única coisa que deviam fazer na vida era ser deputados, propor, negociar e aprovar leis e aqueles marmanjos não conhecem a Constituição? Precisamos de pagar a outros marmanjos para verificar o que os deputados da Nação fazem? Se me disserem que há por lá uns deputados médicos, engenheiros, físicos, farmacêuticos que não percebem nada das entrelinhas da Constituição, eu ainda admito. Mas e que fazem todos os advogados e juristas e afins?

1 comentário:

Anónimo disse...

Concordo em género, número e grau!

Anabela