Comidas do mundo


Eu adoro comida. Adoro comida bem feita!
Arroz de pato da minha mãe.
Os enchidos que a minha avó fazia.
Os biscoitos das minhas tias.
A lasanha do meu irmão.
Mas já viajei o suficiente para saber que boa comida existe em todo o lado. E uma das coisas que gosto quando viajo é perceber o que se come de bom em cada lugar. Tenho memórias fantásticas: empada de iaque no Tibete, macarrons em Paris, steak and kidney pie nos pubs da Inglaterra profunda, sumo de gengibre em Saigão, pastilla aux pigeons em Marrocos, tapas bascas em Barcelona, a omolete fininha com camarões e soja numa banca de rua em Hue, pizzas em Itália, carne com molho de frutos vermelhos em Munique, croissants quentes com café au lait em Paris, panquecas de banana em Phu Quoc, chás estranhos em Shanghai, pato à Pequim em Pequim, revueltos em Madrid, cozido em Sevilha, empadão de batata, salmão e funcho em Estocolmo, arroz doce com molho de frutos em Copenhaga... Sei lá, já comi tanta coisa boa em tantos lugares que cada vez que ouço alguém a dizer que a primeira coisa que procura quando sai do país é um restaurante português, tenho vontade de esbofetear alguém.
Nunca percebi esta nossa "superioridade" alimentar. Porque diabo é que achamos que só nós é que comemos bem? (Ok, excepção feita aos restaurantes normais de almoço em Madrid que efectivamente são maus!) De onde vem a resistência a provar novas comidas e novos sabores? Eu comecei a gostar de comida a sério e a despertar para ela quando trabalhei no Alentejo. Calma, não me insultem! Eu sei que se come divinamente no Alentejo, gosto muito. Mas nessa altura eu almoçava sempre no mesmo restaurante de beira de estrada ao pé da obra e jantava sempre no mesmo restaurante (e único) na terra onde dormia. Quando chegava a casa ao fim de semana, eu precisava de sabores diferentes. Comecei pela comida vegetariana e avancei a partir daí... Hoje colecciono livros de cozinha porque adoro cozinhar, aprender, descobrir sabores e misturas e possibilidades. Estou louca por chegar a Luanda e comer muamba verdadeira e passar fins de tarde a beber cerveja e a comer camarão! O mundo é grande, existe tanta gente fantástica por aí a cozinhar, porque raio é que só os nossos rojões é que são bons?

(ok, confissão final: nada disto impede que a primeira coisa que eu tenho tendência a comer mal aterro no Porto é uma boa francesinha regada a Super Bocks! Mas caramba, uma pessoa também pode ter uma mania pequenita...)

5 comentários:

Marta Mourão disse...

Experimentar comida diferente é uma espécie de viagem cultural.
Faz muito bem alargar horizontes.
Mas olha que apesar de adorar comer de tudo, a minha comida preferida continua a ser a Portuguesa!

Patinha Feia disse...

Alô!
Por falar no arros de pato da tua mãe... já tenho saudades :)
Quanto aos restantes sabores, tens toda a razão. è bom conhecermos o que há de bom noutras terras e culturas, inclusive na gastronomia.
e como sabes não me importo - mesmo nada :)- de fazer de cobaia relativamente as tuas descobertas culinárias. por isso, enriquece-la lá o teu curriculo gastronomico que eu fico ansiosamente a aguardar pelos novos petiscos que daí virão :)
bjs

Samsara disse...

Olá
O maridinho não se lembra do arroz de peixe e diz que nunca foi comer para hoteis, hum?
Há quem goste de comer sempre a mesma coisa, eu adoro de variar quando vou viajar, mas adoro a comidinha portuguesa e ara mim é superior simplesmente porque é a que estou habituada, gosto de variar mas no dia a dia têm que me dar a minha comida superior. É como viajar e voltar a casa. Adoro viajens, mas o dia a dia é em casa.
Só faltaram as fotos desses pratos todos que referiste, fiquei com água na boca.

Beijinhos

M disse...

é duma pessoa ficar com água na boca a ler este post! viva a cozinha do mundo! e vivam as tuas experiências gastronómicas, aqui e por todo o lado, e como nos brindas com elas - humh, aquele empadão de salmão, batata e funcho estava divinal... e viva a muamba verdadeira de Luanda!

vera disse...

há uma pizza também muito boa em Ouagadougou e olha que quem te escreve tem família italiana ! ;-)