Irritações comuns

Uma das coisas que mais me irrita é quando se quer discutir um problema em particular, um problema que funciona num determinado intervalo e que tem umas determinadas consequências, e as pessoas começam a divagar. Aquele problema não é problema, o problema é outra coisa qualquer. E muitas vezes acaba-se por não se resolver nada.
Os problemas não são estanques, mas muitas vezes também não são lineares, não são forçosamente dependentes. E muitas das vezes, mesmo que tenham ligação, o que está fora dos limites pode ser difícil de resolver, não imediato. Enquanto que o pequenito que estamos a tratar é um problema com fronteiras definidas. Pode resolver-se. Não fica tudo perfeito mas melhora.
Para mim a vida é feita de pequenos passos. Os problemas não se resolvem todos de uma vez em grandes acções. Resolvem-se um passo de cada vez, ou um problema de cada vez.
Confesso que quando isto me acontece e a conversa se afasta do problema que eu tinha trazido à discussão é ignorado como menor e vamos é lá ver os outros, eu fico louca! Olha-me o diabo, eu levanto um problema que identifico e a malta passa por cima, acha que esse não interessa nada e avança para outro qualquer. Importam-se de se manter focados?

3 comentários:

pin girl disse...

Tu vai-te a eles, rapariga! :D
Compreendo-te...é um pensamento filosófico dos estóicos: resolver o que pode ser resolvido.

O resto, já dizia a minha avózinha: 'O que não tem remédio, remediado está!'
Também podes tentar essa abordagem para a próxima.

Antes de partires para o insulto, puro e simples, claro! :))

Samsara disse...

Páscoa Feliz minha linda!

MauFeitio disse...

Acho que prefiro partir para o insulto :-)

Por acaso, ontem tive a maior vontade de desatar à chapada dos últimos tempos. Descobri algo que me irrita mais que os desfocados: os parvos-desconfiados-que-adoram-ser-vítimas-e-não-percebem-bolha-do-que-estão-a-dizer. Mas no fundo, era apenas mais um desfocado: não percebe que o problema é só um, aquele que está identificado. Conseguiu arranjar 50 em poucos minutos. Um dia destes, eu passo-me mesmo da cabeça!