Mais um ataque de feminilidade

Já vos devo ter dito umas 50 vezes que a feminilidade me chegou depois dos 30.
Primeiro atacou-me pelas carteiras. A Lacoste foi a grande beneficiada.
Depois foram os sapatos. Eu controlo-me porque Camper e Doc Martens nunca são baratos!
A seguir foram as saias. Comecei por me apaixonar por algumas em Barcelona e depois foram as da Marta Mourão.
Descobri que agora estou na fase dos vestidos. E vão 3 em 3 meses: 1 Ana Salazar que tanto posso levar a um casamento como calçar com sapatilhas (lindo, maravilhoso, creativo, a minha cara!), 1 simples e confortável para trabalhar e hoje foi um vestido de seda preta a que não resisti e que vou estimar muito de tão bem que me sinto lá dentro! E recuperei mais um que tinha comprado o ano passado e este ano o forro ficava demasiado apertado: nada que uns pontos na máquina não resolvam.
Não estou louca, pois não? Vou para a terra do sol, tem de haver oportunidades de usar vestidos!

5 comentários:

Marta Mourão disse...

África é o continente perfeito para se investir em peças frescas e vaidosas :)

MauFeitio disse...

Espero que sim! Pelo menos ao fim-de-semana tem que dar para vestir coisas giras!

Tobias disse...

Louca? Porque de estar louca?! Temos de nos sentir bem connosco! Tb ando numa fase de vestidos! Mas até para trabalhar (desde que nunca mais curtos que pelo joelho e sem decote!)! Só nos faz bem!
Beijos

MauFeitio disse...

Pois Tobias, mas um vestido de seda preto, tipo babydoll mas pelo joelho, não é exactamente fácil paa trazer para o trabalho. Nem o Ana Salazar (a não ser que queira passar a ser considerada louca e snob!). Mas que são lindos e me sinto bem, lá isso sinto!

M disse...

Vivam os vestidos!
(e ensta fase de feminilidade crescente, o que se seguirá?)