Embondeiro-loja

Embondeiro-loja, upload feito originalmente por MauFeitio.

Um embondeiro serve para muita coisa.... sobretudo para servir de suporte a cartazes, propaganda e, neste caso, capacetes e outro material de segurança.
Confesso que não gosto de ver. Os embondeiros parecem-me árvores nobres, respeitáveis, demasiado respeitáveis para serem usadas desta maneira. Mas é o que é. E aqui à volta de Luanda, embondeiro que se preze virou loja.

Comentários

eMe-a-eMe disse…
fico fascinada com as tuas fotos.
a diversidade deste mundão de Deus é fantástica mesmo.
MauFeitio disse…
Luanda e arredores não são particularmente fotogénicas no sentido de proporcionarem fotos de grande beleza. Mas sim, em muitos aspectos, é mesmo um mundo diferente!
Carlos Albuquerque disse…
O embondeiro, ou imbondeiro, no Brasil chamam-lhe baobá, é uma árvore sagrada para os africanos. É, por exemplo, o emblema nacional do Senegal e a árvore nacional de Madagascar. Disse-me um soba, uma vez, que quando o mundo foi feito no paraíso não havia uma macieira,não, mas sim um embondeiro! Pena é que aí a estejam a "profanar" dessa maneira. Na Luanda que eu conheci ainda tal não acontecia. Enfim...
E, já agora, a fruta do embondeiro, que raramente a dá, chama-se múcua. É uma espécie de cabaça alongada, assim a modos de ter ido ao Talon, com casca rija de só partir à martelada. Se encontrares alguma, abre-a, tira-lhe as sementes cobertas com uma espécie de farinha esbranquiçada e prova-as. Terás um paladar ácido, mas único! Pega numa mão cheia delas, pôe-nas num recipiente, deita-lhes água a ferver e deixa-as fermentar durante 5 a 6 dias. Depois, passa por um coador, mistura ao liquido açucar a gosto, leva à geleira, como aí chamam ao frigorifico, e bebe fresquinha. Provarás o gosto do Paraíso! Irra que isto já vai longo. Perdoa.
Beijinhos
MauFeitio disse…
Carlos, os teus comentários e ensinamentos são sempre bem-vindos! Vou pôr a minha empregada à procura da múcua para fazer a bebida!
Mil obrigadas!
tasjaber disse…
Excelente apanhado. Posso dar uma sugestão? Não faz mal, dou na mesma: Tenta aproximar-te mais um pouco (se puderes, claro) e tirar a foto de junto ao chão e na ascendente. Assim o sujeito da foto (a "loja") fica mais próximo e consegues captar mais da magnificência (livra, quase ia ao dicionário) da árvore, ao mesmo tempo que eliminas o ruído de fundo (o muro rebocado). B'j
MauFeitio disse…
tasjaber, falas como um verdadeiro europeu. só te esqueces é que nem toda a gente acha muita piada a ser fotografado por brancos como curiosidade turística.
tasjaber disse…
Obrigado! Daí o "(se puderes, claro)". Quem está aí és tu, não sou eu! Está tudo previsto... b'j