Falta-me o sol

Pode parecer estranho, mas sim, falta-me o sol.

Luanda não é uma cidade que acorde feliz. Acorda todas as manhãs debaixo de umas nuvens brancas que nem são bem nuvens porque são contínuas, indistintas. Nem são nuvens, se calhar são mesmo só smog. Mas o que se vê da janela de manhã é uma cidade com uma luz fria. A primeira coisa que penso é "Vou precisar de um casaco"; depois lembro-me que é Luanda, a luz e a temperatura não estão ligadas. Mas ainda assim, a luz branca é triste, não é possível sair feliz de casa. Ao longo da manhã, talvez melhore, talvez se vejam uns raios de sol. Mas nunca é aquele sol amarelo e quente que nos faz sorrir quando chegamos à rua.
Tenho saudades do reflexo do sol no mar, aqueles tão fortes que temos de cerrar os olhos. Tenho vontade de me pôr ao sol tipo lagarto e sentir a luz encher-me por dentro.

4 comentários:

Marta Mourão disse...

O que mais sentia falta quando vivia em Luanda era do céu azul de Portugal e da luz. Pelos vistos não fui a única a sentir isto.
Outra coisa que estranhava era a velocidade com que o tempo mudava. Ora estava sol, ora apareciam umas nuvens cinzentas.
Mas olha que há uma coisa muito bonita por aí: o pôr-do-sol.

MauFeitio disse...

Concordo plenamente! O pôr-do-sol é fantástico!!!

tasjaber disse...

Olha que tem chovido por estas bandas...

MauFeitio disse...

Sim, mas aqui não chove. Tá só triste e enevoado...