Ontem

Ontem acordei a sentir-me sozinha, num país estranho, num continente estranho, longe dos meus pais, do meu irmão, dos meus amigos....
Mas o telefone começou a tocar às 5:30 da manhã (um colega no aeroporto a caminho de Portugal), depois foi a minha mãe, depois um dos meus Amigos, depois este, depois aquele, depois mails e mensagens e parabéns sorridentes no escritório e comentários ao post de gente que nunca vi mas que para mim são tão amigos como os outros. E percebi que não, não estava sozinha. Os amigos lembram e apoiam. E mesmo que se lembrem só do dia seguinte ou tarde e más horas ou até se não tiverem bem a certeza de qual é o dia, eles estão lá! Presentes, preocupados, prontos a dar carinho e a fazer sentir que, ainda que longe, continuamos a ser importantes. E por aqui, vão-se criando amizades. Gente que disse "A que horas é o jantar?" ou que ligou às 10 da noite a dizer "Vais-me bater mas ainda estou na obra e estou morto de cansaço. Não podemos almoçar amanhã?" e gente que apareceu, mesmo tendo que enfrentar o trânsito da Samba ou da estrada de Catete, só para estarmos um bocado na palheta e para que o meu aniversário não ficasse em branco.
Por isso, a todos mas mesmo todos os que se lembraram ou ficaram a saber e deram os parabéns na mesma, a todos os que apareceram e aos que não puderam, a todos um enorme "Bem haja!"