Amanhecer e mais umas coisas

O amanhecer em Angola é muito rápido. Muito cedo. Às 6:30 da manhã é impossível ignorar que o dia nasceu há muito tempo. A luz infiltra-se por cada fresta e obriga-nos a sair da cama porque anuncia que há muito para fazer, já toda a gente está a pé, o que é que ainda estou a fazer na cama. O nascer-do-sol pode ser bonito no campo mas na cidade é agressivo. E depois chego à casa-de-banho e a água que me sai do chuveiro está cansada de ter vencido a gravidade até ao 6º andar, sai sem pressão, lava o corpo mas não a alma.
Por isso quando hoje o despertador tocou e eu olhei pela janela do meu quarto no 8º andar de um hotel de Lisboa, sorri e enrosquei-me na cama! Lá fora estava uma tímida luz azul salpicada de luzes amarelas dos candeeiros e dos quartos dos madrugadores convidava a ficar um bocadinho na cama, a acordar devagar, a organizar o dia na minha cabeça. E quando me cansei de preguiçar, aguardava-me o melhor duche dos últimos tempos! Muita muita pressão, a água a penetrar poros dentro, a aquecer os músculos e os ossos e a remover a preguiça que ainda tinha.
Depois de ontem me ter arrastado pelo dia como um zombie, hoje estou novinha em folha!

1 comentário:

pin girl disse...

Bem-vinda de volta!
:D

Beijinhos!