Livros e evolução

Não sou uma pessoa muito dada aos livros técnicos. Quando saio do trabalho, não quero saber da engenharia para nada. A revista da Ordem, na maior parte das vezes, é imediatamente arquivada no Arquivo Cesto.
Mas gosto de ler sobre ciência. História da Ciência. Adoro os livros do Stepen Jay Gould. O Ovário de Eva da Clara Pinto Correia é uma delícia. E agora, a conselho de um amigo, ando a ler um livro sobre a Teoria da Evolução e as suas provas. É lindíssmo, bem escrito, com uma linguagem clara. De vez em quando exige alguma cultura geral para se perceber (quando fala da caverna de Platão, quem não tiver estudado Filosofia fica na mesma). Mas é muito bom mesmo!
A única coisa que me irrita, é que hoje em dia já não devia ser preciso escrever livros sobre a teoria da evolução. Não me lembro de a ter questionado. Nem me lembro de alguma vez ter realmente achado que o mundo foi criado em 7 dias por Deus. Por isso mesmo, acho triste que os criacionistas sejam uma classe tão forte que consigam manobrar o que se ensina nas escolas americanas. Pelos vistos existem numa belíssima percentagem na Europa. Mas como é que é possível? Porque é que a fé tem de se misturar com a ciência? Deus ia criar os dinossauros e as amonites só para se dar ao trabalho de no dia seguinte os matar a todos e enterrar bem fundo na rocha? O que é preciso mais para a malta perceber que o Universo tem muitos milhões de anos? Que a vida na terra tem largas centenas de milhões? Que as coisas mudam e evoluem?
Não percebo. Juro que não percebo. Por isso, se por azar tiverem um amigo, nem que seja levemente, criacionista, ofereçam-lhe o último Richard Dawkins por favor (já está traduzido para português). É um favor que fazem à Humanidade.

2 comentários:

SofiAlgarvia disse...

Já leste o Mundo de Sofia?

MauFeitio disse...

Já! Mas foi há muito tempo. Ora aí está uma boa ideia de um livro a reler. Mas da caverna de Platão eu lembro-me bem: há ideias e conceitos tão estranhos que nunca os esquecemos!