Mais uma janela

Mais uma janela, originally uploaded by MauFeitio.
Esta semana foi de muitas janelas mas sem tempo para olhar por elas. Tudo acontece na minha vida esta semana: task forces com deadlines inegociáveis a que pertenço e que desorganizam a semana. Auditorias que devia estar a preparar mas não consigo e nem sequer sei se vai haver vistos por isso não sei se tenho auditor. Amigos que estão em Angola e que eu não arranjo tempo para ver nem para lhes proporcionar os contactos que precisam para os seus objectivos. Chefes que não sei se vêm ou não. Passeios e explorações que não sei se posso fazer. Aniversários de crianças amorosas e convocatórias para baby showers a que ainda não sei se posso ir... Reuniões que mudam de hora 5 vezes no espaço de 2 horas e que até mudam de dia. Convocatórias para jantar a que não podemos fugir.
Não sou paranóica da organização e até consigo gerir a vida na base do dia-a-dia. Mas odeio quando o trabalho toma conta da minha vida impedindo-me de fazer tudo o resto. Irrita-me não conseguir fazer um plano semanal de trabalho e organizar as prioridades. Irrita-me gerir à hora e passar a vida a fazer telefonemas a dizer "Bom, o jantar de hoje passa para quinta nem que chovam canivetes", "Desculpa, o nosso jantar de quinta é impossível. Fui convocada para outro. Em vez disso não podemos tomar um café de final de tarde?", "Podemos trocar a reunião de hoje para amanhã? Tenho uma aberta às 11", "Podemos tratar já dos assuntos que me dizem respeito para eu sair, ir para Viana, e vocês continuam depois com os temas correntes de obras?". "Domingo de manhã? Não sei se posso ir à festa. Queria sair da cidade. Posso confirmar no sábado à noite?", "Festa sábado à tarde? Tenho uma reunião que dura o dia inteiro mas só acontece se o chefe chegar por isso não sei. Se eu conseguir baldar-me duas horas eu apareço mas é melhor começares a explicar à tua filha que provavelmente não venho.".
Mas noto agora que hoje lido com estas coisas muito melhor: há uns anos atrás estaria com um mau humor monumental, a disparatar para todos os lados. Agora limito-me a gerir, desdobrar-me de todas as formas possíveis, explicar calmamente às pessoas o porquê das trocas e esperar delas um esforço de adaptação igual ao que eu estou a fazer, concentrar-me profundamente no que estou a fazer naquele instante e o resto há-de receber a sua dose de concentração mais tarde.
E a verdade, é que no fim isto bate tudo certo. De uma forma ou de outra. E a verdade é que os amigos entendem e perdoam.

2 comentários:

pin girl disse...

Tudo tem o seu próprio tempo e lugar.

O mero facto de nem sempre o encontrarmos quando precisamos não desmente a verdade disto.

Mas o apercebermo-nos disso nas piores alturas é uma coisa muito boa.
Faz-nos sentir que tudo faz sentido.
Mesmo a bagunça.
(Tou tola ou isto tá a fazer algum sentido...?!?!)

Pelo menos, a mim faz.
Fico contente por ti.

MauFeitio disse...

Mas foi difícil de gerir.... eu odeio ter de dizer : não posso aparecer, tenho de trabalhar...