Triste

Não estou triste triste. Mas o eu engenheira está triste. Acabei de sair do Laboratório de Engenharia de Angola. Um campus que faz lembrar o LNEC. Edifícios que fazem lembrar o LNEC. Equipamento igual ao do LNEC. Lá dentro gente interessada. Mas muitas das máquinas estão paradas. O macaco de uma prensa estragado. Na outra o aparelho que precisamos não funciona. Dá vontade de pegar naquilo de uma ponta à outra e perguntar "Mas o que é que é preciso?". Mas as coisas não são assim. É uma entidade. Tem de funcionar. Eles têm de conseguir que funcione. E eu não queria ter de ir a correr ligar a laboratórios privados. Mas vou pegar no telefone.

Sem comentários: