Depois de 2 horas no trânsito...


... tenho saudades de lugares como Barcelona.

Há uns dias em que Luanda tem a capacidade de nos desesperar. Depois de um dia bem passado numa barragem com toda a conversa técnica que isso implica e que foi um óptimo descanso da minha vida de sistemas, o regresso a Luanda durou 2 horas. Podia ter sido pior mas eu consegui "acandongar" um bocadinho. Ainda assim, de tão parado que estava, podia supor-se um acidente (era o rumor que corria entre os que desligavam o motor e saíam do carro). Afinal não, tudo aquilo era provocado pelo afunilamento na rotunda a seguir aos congoleses. Eu não sou de desesperar no trânsito mas aqui há dias em que dá vontade de parar o carro num lugar qualquer e ir a pé. E é nestes dias em que tenho saudades da Europa.

7 comentários:

Brikebrok disse...

é verdade, também eu ,porque que é que não andava quase a pé ?

MauFeitio disse...

Porque está calor. Mas sobretudo, pelo menos em Luanda, porque o medo doa assaltos (justificado ou ão) impera. E portanto toca a andar de carro, de portas trancadas e vidros fechados. As saudades que tenho de andar a pé....

SofiAlgarvia disse...

Eu, a lutar de manhã contra o trânsito lisboeta, a tentar chegar a todas as escolas das minhas crianças e ainda a tempo de conseguir enfiar o carro na garagem permanentemente cheia do meu local de trabalho (as filas que eu e os meus colegas criamos nas manhãs lisboetas, por causa da bendita/maldita garagem, qualquer dia é notícia de 1ª página) e tu aí desesperada por causa de uma rotunda. Carros! Não se vivem bem com eles, mas já não se vive sem eles!

Marta Mourão disse...

Era exactamente o que eu sentia quando vivia em Luanda: muitas saudades de andar a pé.
O trânsito era desesperante, não só pelas horas que se desperdiçavam, mas também pelos perigosos condutores...
Acho que mesmo assim o melhor sítio para andar a pé/correr é a marginal. Mas sem carteiras ou nada à vista. Mais ou menos como fez o Sócrates qd aí esteve :D
Vinga-te quando estiveres por cá!

MauFeitio disse...

Sim, malditos carros, Sofia!
A marginal é uma opção assim assim.... nem que seja porque não cheira propriamente a mar. Sobra a passadeira do ginásio, ao qual não tenho conseguido ir. E sim, esperam-me grandes caminhadas na Foz do Porto :-)

myself disse...

O trânsito, a mim, sempre me tira do sério. Mas para chegar lá (onde queremos) temso de o gramar

M disse...

Tb tenhos audades de BCN:)