E na segunda noite..

... a malta acampou na Baía das Pipas. Sabíamos que a saída era algures antes da linha do caminho de ferro. Sabíamos que seguíamos a picada até ao final, virar à direita, continuar, escer 50 m terríveis e na praia ir falar com o Z. Ok. Sem maka. A picada era tenebrosa. Quem já passou por cá sabe que as mais duras sãop as de terra copmpatctada que com o tempo ganharam umas ondas. Não há velocidade, por menor ue seja, que permita fazer a iagem confortavelmente. E os 50 m terríveis assustaram: uma descida com buracos fundos e desencontrados.
Quando finalmente chegámos e nos deram o espaço para as tendas, lá conseguimos instalarnos. E tendo em conta que nenhum de nós é um campista convicto, até nos correu bem.
O pior veio a seguir: malta aqui não há restaurante. Olhares tristes. "oh NÃO, pão outra vez". Não foi pão mas do carro sairam batatas fritas, bananas-maça, atum, 1 lata de feijão, tostas e uma lata de sardinhas. A fome aguça oi apetite e banana com batata frita revelou-se um respasto. Muitos risos depois e algumas horas de sono, percebemos que acordámos numa praia linda onde apetecia ficar.
~

Sem comentários: