Por cá...

Estamos em pleno cacimbo.
Os dias perderam o calor abrasador e, às vezes, a noite agradece um casaco muito leve.
Estamos na época das papaias gigantes.
Luanda vai encher-se de jazz e de música por 3 dias.
A luz falha menos e a água não dá chatice.
Andam brigadas de chineses pela cidade a compôr os passeios.
Já nenhum preço me espanta.
As nuvens brancas sobre Luanda impedem o sol de aparecer por dias a fio.
Há milhares de semáforos a serem instalados cidade fora.
A polícia já não deixa os candongueiros berrar debaixo da minha janela de manhã.
O meu visto de trabalho saiu. Voltamos à mais completa legalidade.
As manhãs de domingo são para passar na Ilha na companhia de um livro.
Há 2 quilts na minha mesa de costura. E uma carteira cortada à espera que a decida coser.
Os amigos do último mês já voltaram para casa. Cada vez que alguém aparece e depois se vai embora, a cidade fica um nico diferente porque a vimos com outros olhos durante uns dias.

Comentários

eMe-a-eMe disse…
travelling friend, estas tuas crónicas de viagem,estão a ficar um vicio de se ler. convenço-me que uma verdadeira cronista no feminino pode ter ingredientes imbativeis. esta tua descrição do regresso a casa, após um dia de trabalho, ou após uns dias enfiada numa qualquer expedição ou passeio e teres à tua espera 2 quilts na mesa de costura e uma carteira cortada por coser, é uma verdadeira delicia.
MauFeitio disse…
:-) mas é apenas a verdade! Só que há dias em que estas coisas me saem assim, outros em que nada se forma na minha cabeça. quando as frases aparecem, é metê-las no blog antes que se desfaçam de novo em fumo.
Eliana Solange disse…
Minha cara amiga... a luz e a agua estao na mesma... tu eh que ja estas habituada :D e nao sentes tanto quanto no inicio :D hahahahahhaah :D
adoro ler-te :*