2011

Ainda bem que não acredito em presságios. 2011 começou comigo e uma gripe monumental que me fez ter febre de quando era criança. As férias foram o costume: uma corrida para trás e para a frente, agenda na mão para não faltar aos jantares combinados, compras para trazer, coisas para tratar. Sabe-me muito bem ir a casa e ver a família e os amigos mas a verdade é que não são bem férias. São poucos e raros os dias em que posso simplesmente deambular pela cidade. O dia em que regressar de vez vou escapar-me para algum lado durante 2 semanas e andar ao sabor da vontade e não fazer nenhum ao sabor da preguiça.
Já regressei a Luanda. Dá para perceber que choveu muito por aqui porque há umas crateras novas na cidade. Nota-se que os abastecimentos à cidade dependem do exterior porque as prateleiras vão enchendo de novo ao ritmo dos contentores que saem do porto. A cidade regressa à vida. E eu também.

Comentários

Marta Mourão disse…
É assim. Quando vamos viver para fora e ocasionalmente regressamos por uns dias é sempre uma correria. Todos os minutos estão organizados para ver família, amigos e para resolver coisas. Há tempo para tudo e de certeza que ainda vais deambular muito por Portugal!
MauFeitio disse…
Vou mesmo! Acreditas que estou cheia de vontade de conhecer melhor Portugal? Sinto que me dou pouco ao trabalho de conhecer o país. E agora que moro fora, valorizo-o mais!