#174 03/02/2011



#174 03/02/2011, originally uploaded by MauFeitio.

Era pequena. Uns 15 cm. Saiu de debaixo de um contentor e assustou um encarregado. Escusado será dizer que não viveu muito mais mas entretanto torceu-se, contorceu-se e olhava-nos com uns olhinhos e, acho eu, maldosos. Suponho que nos daria uma ferradela se ainda tivesse forças para isso. Ou se calhar não. Se calhar estava só a tentar perceber o que teria feito de errado para ter sido atacada e estar cheia de dores. Não sou daquelas defensoras de animais acérrimas, não gosto de cães melhor tratados que muitos humanos, olho para um patinho lindo e amarelo e penso "Arroz!!!". Mas dá-me pena ver morrer animais selvagens. Era suposto viverem em paz e nós vamos e matamo-los. Não era o destino deles.

Comentários

Tobias disse…
Eu sou defensora (dentro dos razoáveis, não sou extremista) dos animais. E de facto, nem as cobrinhas merecem tal destino, apesar de ser daquelas que prefiro nem as ver...Mas se for uma espécie venenosa... Num sítio cheio de pessoas... Bom... Defendo que se alguém tem "de ir", é a cobra....
MJ disse…
Eu acho que nem sangue frio tinha para tirar esta foto :(
Marta Mourão disse…
Nota-se que és uma mulher destemida e despachadona. Sempre tive essa ideia de ti, mais ainda depois de falarmos por telefone (tenho mesmo pena de não nos termos encontrado).
Eu nunca na vida tiraria essa foto, até porque tenho verdadeira FOBIA de cobras. Nunca vi nenhuma ao vivo e rezo para nunca ver. Dá-me suores pensar nisso.
E aqui estás tu, a mostrar uma foto destas minhas "amigas" e a falar de cobras como quem fala de uma mosca :D :D
Nada te pára!
MauFeitio disse…
Marta, acredita que se fosse um rato eu não tirava foto nenhuma. A minha fobia é essa!! Mas esta, verde verdinha e já sem forças para atacar ninguém, era boa demais para deixar passar em falso!