Flexibilizar

Só uma mãe capotada para se sair com um movimento destes! Mas a verdade é que ela tem razão: nem sempre é preciso estar sentada atrás da secretária o dia inteiro para fazer o trabalho. Há gente que consegue orientar-se com metade do salário e portanto preferia ter um part-time que permita ir buscar os filhos à escola a tempo e horas. Há gente que não tem clientes para atender e trabalhar no escritório ou numa esplanada é igual.
Nada disto é o meu caso. Às vezes penso apenas em como seria bom ter parte do meu dia para mim, para fazer as coisas de que gosto. Ter tempo para a minha outra vida. Gosto do que faço mas não é a minha vida. A minha vida é mais que a engenharia.E muitas vezes sinto a cabeça a fervilhar de ideias que não tenho tempo para concretizar.
Flexibilizar é para todos? Não. É para gente capaz de se organizar, com um alto sentido de responsabilidade. Mas provavelmente quem considera esta hipótese é bem mais atinado do que a malta que está o dia todo no escritório a cirandar com um ar ocupado mas se calhar a fazer pouco. E acho que flexibilizar pode ter outra vantagem: se temos objectivos marcados e queremos tempo para nós, vamos mesmo ter de nos concentrar, fazer bem à primeira porque refazer vai custar tempo. E a confiança que merecemos é para manter.
Não sei. Parece-me uma boa ideia. A analisar caso a caso.
O que eu sei é que tenho estado a trabalhar em casa por uns dias e isto está a render. Tinha coisas que precisavam de tempo para serem pensadas, paz e sossego para as analisar de vários lados. E a verdade verdadinha é que a lista que fiz de objectivos para esta duas semanas está a ser cumprida a uma velocidade que me deixa feliz.
Portanto, Ernestina, vamos a eles! A luta continua!

Sem comentários: