Altos e baixos de Luanda

Estive 5 semanas fora e já regressei à duas. E neste tempo, Luanda continuou a mudar.
A grande novidade é que os passeios estão a ser calcetados. Calçada portuguesa feita com cubos de granito e basalto, tanto quanto sei vindos do Huambo. Já há na António Barroso, na zona central da Van Dunen, na Rua do 1º Congresso. Motivos simples mas bonitos. Com as vantagens de ser fácil de repor quando tiver de ser mexido por algum motivo e os passeios passam a permitir alguma infiltração de água o que vai dar jeito na época das chuvas.
O viaduto novo que vai ligar Luanda à Baía já está em funcionamento. Está bonito, prático embora com alguns defeitos de sinalização horizontal. Mas agora podem começar os trabalhos de desaçoreamento e a Ilha vai voltar a ser ilha. Com a vantagem que a água da Baía vai ter 2 pontos abertos e sem dúvida a circulação da água vai aumentar e a qualidade vai melhorar.
O Tamariz foi renovado e está eleito, por mim, como o melhor lugar para funs de tarde de domingo.
O percurso pedestre no início da Ilha está cada vez maior. Já há um lugar para caminhar. Não se esqueçam é que não convém trazer relógios, carteiras e afins (nem tudo pode ser bom!!!)
Também há coisas más, claro. A novidade em minha casa é que agora nunca há água à noite. Já nem estranho os garrafões por todo o lado, ter de os encher quando a água vem, rezar para poder tomar um banho decente de manhã. Mas a verdade é que nos habituamos a tudo.
Estamos na época das papaias. Delícia! O cacimbo chegou em pleno e por isso está-se bem. A temperatura é perfeita. Não fosse eu estar a 3 semanas da luta contra "as forças do mal" e a vida era bela! (Como não é bela, é domingo, estou no Miami, computador ligado e é para ficar a trabalhar até ao final da tarde - pelo menos dá para ver o mar).
E acabo com mais uma coisa boa: o trailer do documentário sobre o trabalho que o projecto Paleoangola está a realizar. Uma gigante salva de palmas para o Kalunga que está a produzir e a realizar e para os paleontólogos que, devagar devagarinho, vão revelando pedaços da história do mundo. E eu estive lá! Roam-se, ya?



P.S. e não me perguntem como mas a net ficou mais rápida nestas semanas. É tão fixe conseguir ver este vídeo sem cortes :)

2 comentários:

Alexandra Durão disse...

Tens razão, visitar o teu blogue tem sido causa de grandes sentimentos de inveja! :-)

MauFeitio disse...

faz-se o que se pode Alexandra!
é o que dá uma pessoa ter a mania de olhar para a vida pelo lado positivo! acredita que não me invejavas se eu desatasse a ser uma chorinhas que só via miséria, desgraça e coisas más. mas não me apetece cortar os pulsos, por isso, toca a aproveitar e a fazer inveja! ;)