Revolucionar para flexibilizar

Há gente com vidas tramadas. Entre putos, escolas, trabalho, marido ou mulher, cão, gato, doenças, vacinas, trânsito, eu não percebo como se consegue. E, se calhar, alguns destes problemas resolviam-se com uma conversa com o patrão, o ajustar dos horários, a responsabilidade dos trabalhadores e a consciência dos patrões.
Mas no meio disto tudo, há gente disposta a chatear, melgar, informar para que a flexibilização possa acontecer quando aplicável e útil. E já estão a trabalhar no duro. Passem pelo blogue que vale a pena: http://revolucionarparaflexibilizar.blogspot.com/

Mas precisamos de mais. Precisamos conhecer a realidade e o que as pessoas pretendem (não faz sentido o movimento estar a trabalhar num sentido quando os trabalhadores precisam de ajuda noutro). Por isso mesmo, hoje vamos lançar o inquérito. Cliquem na imagem abaixo e respondam por favor. Deve demorar quê, uns dois minutos? E nunca se sabe quando não vos vai ajudar a vocês!!!

3 comentários:

M disse...

Já conhecia o blog:)
Vou ali responder ao inquérito.

MauFeitio disse...

Passa o inquérito aos teus contactos por favor!! Bigada Martinha!

tasjaber disse...

Oi! Não pude deixar de tentar responder ao inquérito, mas não consegui completar, uma vez que não senti que de alguma maneira se adequasse à minha realidade profissional. Ou será que estou tão condicionado ao meu labirinto que já não o reconheço? Acho que o que preciso é de menos trabalho.