Ele há dias em que Angola dá cabo de mim

Estava eu alegre e contente a caminho de ir buscar o meu passaporte com o meu novo visto quando recebo uma chamada. Uma das empregadas lá de casa (somos muitos...) faleceu. De papeira, tanto quanto o último diagnóstico que recebemos. Deixa 3 filhos. Era pequenina e calada mas trabalhava imenso e as coisas apareciam feitas. E agora simplesmente já não existe.
Morreu de papeira. Nem acredito.

4 comentários:

Naná disse...

É ainda mais difícil acreditar especialmente quando se morre assim duma doença que em Portugal está perfeitamente "dominada"...

Tobias disse...

Irra... :(

Pitú disse...

O meu grupo de amigos chama-lhe o "dia do bilhete". O dia do bilhete de ida sem regresso..O dia de querer fugir. Tive muitos nos ultimos anos por Luanda, mas um dos mais dificeis foi o do funeral duma menina de 3anos, filha de um engº angolano. Faleceu com diabetes. Diabetes não detectados a tempo e horas. Diabetes não tratados devidamente. E ouvir da boca daquele pai que a sua princesa tinha falecido porque viviam em Angola custou...Foi dos dias mais dificeis da minha estadia. Mas já fui e já vim. Já estive em Portugal um ano e meio e já regressei novamente. E gostei de conhecer este blog, ainda que agora novamente em continentes diferentes. Boa sorte por Portugal!

MauFeitio disse...

Bem-vinda Pitu!