Férias #7 e 8

Mais amigos. Mais conversas. Mais andar pelo Porto a resolver coisas e cenas. Mais lojas pequeninas com atendimento de luxo. (Definitivamente, as retrosarias são um caso especial de pequeno comércio: podem ser novos, mas os empregados destas lojas são sempre conhecedores, bons ouvintes, prontos para ajudar o cliente a descobrir a solução perfeita e trabalham na mesma loja durante anos a fio).
Uma bebé em plena festa na barriga da mãe.
Uma festa de anos / festa de despedida / motivo para juntar amigos. Tempo para reencontrar gente que vejo muito pouco mas que me recebe sempre muito bem e que tem sempre umas gargalhadas prontas. Que bem que me soube uma tarde de pura parvoíce :). 
E depois, um milagre: depois de anos sem pegar numa viola, ainda consigo lembrar-me dos acordes. E consigo mudar entre eles relativamente depressa. E já não tenho as mãos de outros tempos, os calos na mão esquerda não existem, as unhas da mão direita não são suficientemente grandes, mas a verdade verdadinha é que quando pego numa viola sinto-me mais eu. Sinto como se voltasse ao mais fundo de mim, ao dom que Deus um dia me deu e que, por motivos vários, eu deixei de explorar. Acho que um dia ainda vou ter voltar à música para ser completamente feliz!

Sem comentários: