Ando falha de notícias para dar

Os dias correm ao sabor do trabalho. Em Fevereiro, a tal da adaptação continuou, as mudanças também. Sinto que a casa de Lisboa é agora o meu canto. Gosto de voltar para casa ao final do dia e sentar-me no sofá a fazer meias devagar. Mas ainda ando tão absorvida pela vida que depois não tenho muito para dizer. E o que tinha para dizer, não me apetece. Não me apetece falar de notícias e tristezas e coisas para que não tenho paciência. Por isso, tenho estado calada.
Mas amanhã há encomendas para ir buscar ao correio. A Zélia mandou algo que não sei o que é e estou mortinha por descobrir! E vai chegar um livro novo de tricot para me inspirar e desatar a fazer umas camisolas giras com lãs Noro. Por isso, amanhã, acho que vai haver fotografias de coisas boas para mostrar, o fim-de-semana está quase à porta e tenho de sacar da máquina de costura. E a ver se desfaço este nó no cérebro que me tem feito pensar só em trabalho.

1 comentário:

Naná disse...

Às vezes o silêncio também é bom!