A arte de não fazer nada

Nos últimos anos, com isto dos crafts, é raro estar sem fazer nada. Há sempre um projecto. Há sempre qualquer coisa nas agulhas para fazer companhia ao final do dia em frente às séries mononeurónicas ou na praia ou numa esplanada ou num comboio. 
E hoje estava a começar de ler a última Kinfolk e eles têm um artigo sobre a arte de não fazer nada. Ficar a olhar pela janela. Ficar a ver o mar. Não fazer nada. Deixar o tempo passar e a cabeça fugir por aí. E percebi que faço pouco isso. Perdi a capacidade de não fazer nada. Não sei, fez-me pensar....   Eu não tenho de estar sempre ocupada. Se calhar é mesmo isso. Tenho de reaprender a tirar tempo para deixar a cabeça navegar e fugir por aí. Reaprender a descansar. 

Sem comentários: