Esta também deve ser culpa dos entas que se aproximam

Eu. A eterna fã das calças de ganga e das camisas brancas. De vez em quando dou por mim a ver umas coisas estranhas. No início dos trinta foi a epifania dos sapatos e das carteiras. Vá lá, não me desgracei. E consegui até encontrar umas coisas que ainda hoje duram e estão para durar. Melhor, coisas que continuo a usar.
Acho que a epifania dos 40 são os vestidos. Descoberta recente no sentido que não têm de ser só para as ocasiões. Descobri que há coisas muito fáceis de usar. Muito práticas. Que dão menos trabalho de manhã porque não é preciso olhar a ver se aquilo bate tudo certo. E descobri que, excepto dias de obra, são uma coisa muito confortável para trabalhar. Resumindo, têm vindo a ganhar preponderância no guarda-fatos.
E hoje, até me levaram a mudar velhos hábitos. Dia de voar sempre foi dia de calças e camisa. (Porque é que isto nem soa descabido.) Mas hoje, voei de vestido SkunkFunk e botas Swedish Hasbeens. Ou seja, bem vestida. E o melhor é que me senti diferente. Enfrentei o aeroporto e o avião não com aquele ar do costume bolas, lá vamos nós para mais uma monumental seca. Odeio voar. Só gosta quem não o faz profissionalmente. Não, hoje foi mais "siga para bingo e cabeça alta. Gaja gira a passar. Abram alas!". Sabem que mais? É uma atitude muito melhor!
A este ritmo um dia até vou acabar a ser um ser fashion. Lá para os 60. Que estes passos, eu dou um de cada vez!

2 comentários:

Sílvia Silva disse...

ahahah...e voaste muito bem, todas queremos que esses momentos gaja gira a passar sejam todos os dias, mas na maioria deles cansam-nos demais a beleza e não dá:D beijos!

MauFeitio disse...

E além disso, no meu caso, isto implica um estado de espírito... que no meu caso, está longe de ser constante :D