Mas desde quando é que eu sou a pessoa certa para trocar os pneus dos outros?

Chamada de final de tarde:
Furei um pneu.
Sim, e então? Troca.
Mas eu não sei trocar pneus.
Já te ligo.
Como é óbvio, precisei contar até 100 para me acalmar. Não sabes trocar pneus? Um homem não sabe trocar pneus? E eu tenho de saber?
Mas o carro tem pneu sobresselente, certo? E macaco, certo?
Tem, mas eu não consigo sequer tirar o pneu da bagageira. Está preso.
Claro que está preso. Tem 1 parafuso grande e uma porca. Roda-se a porca e sai tudo.
Pede ajuda. Alguém há-de parar.
Pois...
Vou a caminho. 
E pronto, meti-me no carro, atravessei Lisboa de uma ponta à outra. Em hora de ponta. Tudo a sair no mesmo sentido que eu. Atravessei a ponte. Fiz km de auto-estrada.
Quando lá cheguei, o triângulo estava no lugar. A GNR já tinha parado.
Sou a colega que vem ajudar. 
Sim, já sabemos.
Alguma vez trocou um pneu?
Claro que sim!
Tira o resto da tralha da bagageira. O pneu saiu do nicho em 10 segundos.
Procura o apoio para o macaco. Quando dei por ela, estava um agente agarrado à chave a aliviar os parafusos.
Pode subir o macaco.
Dei furiosamente à manivela. Uma fúria que vinha do facto de eu ter de ter ido ao outro lado, trocar um pneu a um homem. Ajudada pela fúria de os meus planos de passar a noite em divertida cavaqueira terem ido todos pelo cano.
E o agente a trocar a roda.
Já chega. A roda já entra.
Quer ajuda para apontar os parafusos?
Pode descer o macaco.
Façam uma entrada cuidadosa na faixa. E é melhor verem o ar do pneu. Parece um bocado em baixo.
Sim Sr. Agente. Vamos parar na bomba. 
Os agentes foram embora antes que lhes pudesse agradecer decentemente. Acho que se apiedaram da miúda que tinha de trocar o pneu ao gajo que nem o consegue tirar da bagageira.
Meti a tralha toda na bagageira. Deitei fumo, tanto fumo, pelas orelhas durante o tempo todo que até me espanta que os bombeiros não tenham aparecido também.
Não me importo nada de ajudar as pessoas. Mas trocar um pneu? Trocar um pneu?

Sem comentários: