Das memórias a ressurgir

Eu adoro música. Preciso de música. Há claramente estilos que ouço mais que outros e alguns que sou absolutamente incapaz de ouvir.
Curiosamente começo a perceber que fico normalmente com alguma alergia à música que mais comummente se ouve nos países onde morei. Gosto de algum flamengo mas tem de ser particularmente bom, sou alérgica ao ponto de ficar com o corpo cheio de borbulhas e a música marroquina, a não ser em circuntâncias especiais e de músicos extraordinários, é uma coisa que me irrita a um nível indescritível.
Quando, há milhões de anos atrás, trabalhei em Marrocos uns meses, o momento em que sabíamos que tínhamos de sair da discoteca era quando começavam as "marroquinices". E o Jardin d'Eau, só lá íamos porue tinha os melhores steak au poivre da cidade mas vínhamos de lá a precisar de uma cura de silêncio.
Hoje estou em trânsito por Casablanca. Nem vou sair do aeroporto. Mas não preciso. Os chofe e os chokram trouxeram memórias. A confusão e a falta de informação e o ter de andar tipo barata tonta até que alguém dê uma informação de jeito também têm algo de déjà vu. E a música aqui no lounge... a música não perdoa. Com jeitinho vou reconhecer as músicas de há uns anos atrás.

Sem comentários: