O apelo da terra

A terra

Sou miúda de cidade com raízes na aldeia. Muitas raízes. Parece que cada vez mais.
Ver terra abandonada custa-me um nadica mais cada dia. Ver silvas a crescer, doi-me.
Por isso mesmo.... Pedi uma poça de terra emprestada à minha comadre. Vou pagar para a limparem. Vou arranjar quem lá vá com um tractor lavrá-la. Provavelmente vou ter de pagar a alguém para ir semear milho. E cheira-me que vai ser a minha mãe a regá-lo. Pois, eu fico com a parte fácil, ter ideias. Mas neste momento, isso parece-me importante.

Sem comentários: