A minha maneira de ajudar

Cheguei ao Nepal no dia a seguir ao terramoto. Coisa estranha, como diria o meu irmão, isto de ir de férias para um lugar que acabou de sofrer um terramoto.
Como vos disse várias vezes, Katmandu não caiu como se depreende das notícias que passavam na altura. Mas não deixa de ser verdade que há muita gente a precisar de ajuda, que há aldeias em muito mau estado, que há casas para reconstruir e gente para ajudar.
O Pedro e o Lourenço estavam em Katmandu no dia do terramoto. E ficaram. A ajudar. E eu sei porque a Rosarinho, a minha anfitriã, anda também naquelas lides, envolvida em entregas de comida e visitas a orfanatos. E eu penso muitas vezes que gostava de lá estar a ajudar. Se calhar uma engenheira civil com mau feito até podia dar jeito no Campo Esperança ou nas Casas Saudade. Mas não estou. Mas posso na mesma dar o meu tempo.
Por isso, passei umas horas desta semana a fazer esta carteira. Grande. Colorida. Feliz. Como todos desejamos que toda a gente no Nepal seja. E vou leiloá-la aqui. Por favor deixem um comentário neste post com a vossa oferta. O valor da oferta mais alta será integralmente enviado pelo vencedor para o projecto Obrigado Portugal. Nós também somos Nepal (mandem-me o comprovativo por favor). Os portes de envio ofereço eu. Até ao dia 10 de Junho (inclusive), passem por aqui. Pode ser??
Espero que gostem! E que vos faça feliz! A carteira e o facto de saberem que vão efectivamente ajudar um povo simpático que tem o azar de viver por cima duma zona onde continentes lutam.

P.S. Não vou publicar os comentários com as ofertas mas irei fazendo actuazações indicando quem está à frente.




Sem comentários: