Das aventuras do passado e das aventuras do futuro


Há 17,5 anos atrás, eu tive a sorte de o meu CV ter sido enviado para uma empresa. O meu primeiro emprego, irrecusável, era na melhor empresa do país na especialidade que eu tinha escolhido. Bingo!!!
Lembro-me bem do primeiro dia. Cheguei, disseram para esperar uns minutos na recepção, até que me aparece o Rui, o meu chefe, com a cabeça cheia de caracóis e uma camisola de lã. Olá! Vais trabalhar comigo. Olhou para os meus pés. Vamos às compras. Uns minutos depois, armada de umas botas de biqueira de aço e um capacete branco, lá fui eu para o meu primeiro dia nas obras. Estação da Baixa Chiado e Gare do Oriente. Na versão work in progress. Eu não sabia caminhar ali, descer as rampas, avançar na lama sem parecer uma totó acabada de chegar. As plataformas abanavam debaixo dos meus pés mas todos trabalhavam lá, confiantes, por isso eu subi, tentei disfarçar o medo o melhor que pude. E sobrevivi ao primeiro dia. E ao segundo. E ao primeiro ano. E à primeira década. Tive dias maus, dias normais, dias excelentes. Fui crescendo. Mudei de departamento, mudei de chefes, mudei de país, mudei de cidade. Mas fiquei. Até me ter tornado, como alguém disse esta semana, parte da mobília ou, de uma forma mais poética e como alguém também disse esta semana, parte do DNA. 
Não há palavras que cheguem para o que aprendi e o que vivi. Os lugares e as experiências me deu!
Há 2,5 anos atrás, algumas alterações. Outra empresa no mesmo grupo. Muitas pessoas novas entraram para a minha vida. Mais responsabilidades. Coisas novas ao mesmo tempo das coisas de sempre. Um desafio enorme. Uma equipa de luxo (e não fui eu que lhes dei esse nome!!) e um resultado final que às vezes me parecia impossível. Não atingi todos os objectivos, mas lutei.

E um dia... uma manhã.... umas semanas atrás.... decidi despedir-me. Tive que explicar esta decisão a muita gente nos últimos dias e foi difícil descobrir as palavras certas porque não era pelos motivos do costume. Não era por estar farta, ou chateada. É apenas, e na falta de melhor descrição, a minha versão da crise dos 40. Quero começar de novo. Quero aprender de novo. Quero provar a mim mesma que sou capaz de funcionar bem fora da caixa que conheço. Quero descobrir mais gente, mais empresas. Alargar o meu mundo. E sei, e todos percebem isso, que ou o faço agora ou nunca mais terei coragem. E acreditem ou não, esta decisão é a certa para mim. Sei isso pela paz com que passei estas semanas.
E como eu sou uma pessoa muito cheia de sorte, os últimos dias encheram-me o coração ainda mais. Eh pa? Tu? Whaaaty? Tás louca? Tás a brincar, certo? mas vais fazer o quê? Passaste-te da marmita? eram invariavelmente seguidos de vais fazer-nos falta! foi tão fixe trabalhar contigo! vais deixar saudades! e das frases finais fico muito feliz por ti! ah muda com coragem! vais arranjar qualquer coisa num instante, não tenho dúvidas! tu dá notícias! aparece para almoçar! 
Saio tranquila porque sei que as coisas ficam em boas mãos. Porque sei que eles sabem que me podem ligar olha lá, mas porque diabo é que tu inventaste aquilo assim? Sandra, socorro, não percebo nada da norma dos Lefrancs!!!! E eu, na medida do possível, cá estarei.

O que vou fazer agora? Férias. 3 semanas de férias. Tempo para os pais e a horta, tempo para passear pela Europa de que tenho tantas saudades e que não visito há 6 anos. Tempo para ler, dormir, arejar a cabeça. Depois, é entrar na luta de novo. Descobrir o próximo desafio. Provavelmente algures na Europa. Admitam, eu tenho cara de quem mora da Dinamarca, ou na Holanda, ou noutro lugar parecido, certo? Acredito que sei fazer umas coisas, que gosto de aprender. Sou um ser pensante, com 2 mãos e 2 pernas e uma cabeça. Sei que vai correr bem! E se não correr, também aprendo com isso.

Comentários

Alexandra Macedo disse…
Um grande UAU! para ti! : )
Regina Lavandeira disse…
Sandra, "Parabéns" pela coragem!
Votos de muito sucesso e muita sorte!
Tenho a certeza que vai correr bem!

Beijinhos
Anónimo disse…
Valentona,
HÁ aí pelo texto uns verbos ' haver' sem o'h'.... Toca a corrigir, rapidinho!
Tudo bom e prá frente ...
M disse…
Estou tão orgulhosa por ter uma amiga audaz como tu!

MauFeitio disse…
Meninas, corajosa ou irresponsável é o que ainda está para ser ver :)
Obrigada pela força amigas!
Anónimo disse…
O "Chefinho" deseja-te as melhores felicidades!
Afinal é a vida que tem planos para nós........!!!!!
Beijos & Saudades.
Isilda disse…
A sorte ajuda os audazes:-)
Beijinho