Das esplanadas

Obrigada Deus pela invenção da esplanada.

Não sou muito miúda de cafés. Tenho os meus lugares de estimação onde páro para um café. Nada de mais. Mas há coisas sagradas na vida: esplanada de domingo de manhã. Vazia de preferência. Com vista desafogada. Empregados simpáticos que sabem que chego ainda eles preparam o dia. O ver a ponte. De preferência com sol. É um livro. De preferência como o de hoje onde se descobrem pérolas destas:
"Para as gentes ilustradas, frequentar centros comerciais é quase como ir às meninas. Uma coisa que se faz mas que se esconde."
E pronto. Bom dia mundo!

Sem comentários: