#22 - 3-8-2016


O metro é uma malga de gente estranha ou diferente ou sou eu que ainda lhes presto atenção todas as manhãs. 
Hoje havia a senhora com a capa de telemóvel incrustada de pérolas falsas, o senhor dos sapatos poeirentos com o casaco tão cheio de pêlo que acredito piamente que o gato dele dormiu em cima do casaco, e o senhor do fato impecável,  camisa branca imaculada, com uma mochila North Face aos pés que aposto que tinha uma gravata e o almoço lá dentro. Todos, mais ou menos discretamente,  bocejavam às 7:30

Sem comentários: