A minha outra vida

Isto é cíclico: de vez em quando tenho umas fases em que me apetece ferozmente abandonar a engenharia e as empresas de engenharia e a vida de engenheira. Não sei de onde vem isto; se calhar não tem nada de mais e é apenas consequência de sentir que as tarefas se repetem. Até posso estar a fazer coisas diferentes mas não deixam de ser sistemas de gestão para obras. 
E nestas alturas, vem sempre à baila aquele velho sonho de conseguir viver do que faço com as mãos. Coisa que nunca acontecerá, eu sei. Mas não acontece de certeza se eu não tentar e não fizer um esforço.
Por isso, decidi reactivar a loja. Ou activar porque a verdade é que nunca aconteceu muito por lá. Vou conseguir viver disto? Não. Mas posso dar-me ao luxo e continuar a criar e, se por acaso alguém quiser comprar, melhor. Se não... bom amigas, já sabem o que vai acontecer no próximo Natal.
Não faço tenções de falar muito da loja aqui no blogue. Têm o link, se quiserem passem por lá. Mas não vou fazer ao meu blogue o que vi acontecer a tantos: transformaram-se em lojas. Não quero. Mas é possível que se fale menos de comida e mais de tecidos, de experiências, de frustrações de quem ainda tem muito para aprender.
Um dia atrás do outro. O importante é dar passos.
Confesso que gosto muito das primeiras coisas que pus lá. Dois quadros em tecido. A inspiração veio de amigos, de dois amigos que mereciam presentes mas o que se dá a quem achamos que tem tudo? Felizmente uma tem também uma alma artística e acho que vai gostar; o outro creio que apreciou o presente porque vai mudar de país e leva um pouco de Londres e das amizades de Londres com ele.

Comentários