Não ao nuclear

Eu sei que sou despistada e digo alto e bom som que já não me dou ao trabalho de ver notícias. Mas é óbvio que a catástrofe do Japão não me passou despercebida. E se os primeiros dias foram muito maus, as fugas nucleares trouxeram-me velhos terrores de volta.
Nunca fui fã do nuclear. Já tive discussões gigantes sobre o tema "Mas tu não tás a ver que é preciso energia barata para fazer avançar o mundo?" e mantive sempre cá comigo que o nuclear tinha mais de mau que de bom. Que direito tenho eu de deixar para as próximas gerações toneladas de um lixo com que não sabemos lidar? É claro que não deixamos só lixo nuclear, andamos a tratar o planeta abaixo de cão de uma forma geral mas o nuclear para mim passa das marcas. Eu cá prefiro menos energia mas mais limpa. E nem sou uma ambientalista que também tenho alguns problemas com o fundamentalismo desses senhores mas acho que há coisas que não podemos fazer.
Por isso, de hoje em diante, este blog vai fazer o seu primeiro statement e daqui para a frente o velho autocolante do "não ao nuclear" vai fazer parte da mobília. Alguém mais alinha?

7 comentários:

Patinha Feia disse...

:)

Margarida disse...

Acho que vais gostar de ler isto.
Eu, que devia saber mais do que o que no fundo sei (depois te explico porquê ao cafézinho) adorei ler isto, que está muito simples e divertido e elucida muito bem:
http://lobidocha.com/380777.html

joquitas, ó ambientalista-aprendiz ;)

Tobias disse...

Eu. Estou contigo a 100%.

Anónimo disse...

Mau Feitio:

Já há mt que não vinha aqui.
Desta vez tinha mesmo que escrever qq coisa...

Estou contigo. O nuclear nunca me convenceu!
Bj

Margarida

Margarida disse...

Para sermos racionais, temos de ser informados. Uma nação que sofreu o nuclear como o Japão não se submeteu à emoção e assumiu a construção de centrais. Estranho? Não, racional.
Ler, para se ver mais um lado da questão (no caso, o futuro), aqui:
http://a-ciencia-nao-e-neutra.blogspot.com/2011/04/o-risco-de-estar-vivo-fukushima-update.html
Decidir não é fácil.
Tentar compreender talvez seja uma forma de percebermos os outros.
As suas opções.
Mesmo que possamos discordar.

MauFeitio disse...

Ok Margarida, ok, eu vou ler para estar informada. Mas a minha reacção ao nuclear é muito emotiva. E felizmente eu não tenho o poder de decidir por um país, por isso, mesmo informada, posso manter-me na minha teimosia :)

Margarida disse...

E aqui vão mais uns tópicos científicos, se tiveres paciência para ler:

http://dererummundi.blogspot.com/2011/04/como-funcionam-as-centrais-nucleares.html